quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Alentejo e arredores

Como até se faz muito em casa, num dos momentos de ataque de descobertas caseiras, encontrei um livro chamado "Dicionário Lagóia; Palavras e expressões curiosas utilizadas na cidade de Portalegre". Acho que nunca me interessei por um dicionário, só a palavra faz fugir, mas este vale apena deitar o olho. Resolvi então postar algumas ( por mim eram todas, mas depois dava massada ainda maior) que sob ressaltaram, algumas são conhecidas e ouvidas por nós, mas não resisti e devem perceber porquê xp

  • Abexixe da gaita - não dic., pénis, zona púbica.
  • Agachar-se - dic., (outro sentido), defecar.
  • 'da bem não - exp., (ainda bem não), de vez em quando.
  • Ala miena (o) - exp., utiliza-se para mandar alguém embora.
  • Andar caim caim - exp., andar a queixar-se.
  • Andar de esgalha bordão - exp., andar à toa, sem cuidado.
  • Andar em corpinho bem feito - exp., andar vestido com pouca roupa, estando frio.
  • Arranguelha - não dic., diz-se dos gaiatos pequenos ou enfezados.
  • Astrever-se - dic, o m. q.: "Atrever-se"
  • Atã vá - exp., (de então vá), então vamos a isso ; saudação de saída.
  • Barbeiral - não dic., frio.
  • Basta que sim! - exp., admiração pelo que se está a dizer.
  • Bataréu - dic., (outro sentido), degrau ou banco, de pedra ou de alvenaria onde as pessoas se sentavam, na rua.
  • Bater com as orelhas - exp., comer (em alusão aos porcos).
  • Bufas de freira e peidos de frade - exp., resposta maldosa a quem pergunta por exemplo: "O que é o almoço?"
  • Caga-rente - nao dic., homem pequeno, insignificante.
  • Cagalhão com limão faz bem à constipação - exp., resposta malcriada a uma pessoa sentenciosa.
  • Cocapixinhas - não dic., pessoa meticulosa, perfeccionista.
  • Daqui que dali - exp., de vez em quando.
  • Dar ao lambarão - exp., não guardar segredo.
  • Destó - não dic., interjeição de repulsa; utiliza-se para afastar cães. (pensava que era testó)
  • E d'i que tal? - exp., saudação, equivalente a: "Então e que tal?)
  • Elha, elha! - exp., interjeição que comporta espanto e (ou) recriminação.
  • Escolatêra - não dic., cafeteira.
  • Esparvêrado - não dic., (de esparvoado) parvo.
  • Estar sempre com a tocha nos queixos - exp., estar sempre a fumar.
  • Estardalhaço - dic., estrondo.
  • Ficar tudo na mesma como a Felícia - exp., aplica-se a situações que não evoluem no sentido desejado.
  • Há fogo na panela do Zé Diogo - exp., emprega-se por graça quando o fogo não tem repercussões graves.
  • Ir na carroça do Mané Cá Ficas - exp., significa não ir.
  • Mandar à fonte limpa - exp., mandar à merda.
  • Mercedes de arreata - dic., carroça.
  • Módequê? - exp., com o significado de: por que razão?
  • Ná! - nao dic., não!
  • Panhanha ou panhonha - não dic., pessoa timida, desajeitada, com pouca força de vontade.
  • Panhuça - nao dic., companheiro de escola.
  • Penicos virados sem fundo - exp., resposta a pergunta indesejada, por exemplo: "O que esás a fazer?"
  • Pindricalho - não dic., qualquer coisa que esteja dependurada.
  • Presuntos - dic., (outro sentido), pés.
  • Quinta dos pés juntos - exp., cemitério.
  • Sim-senhor - nao dic., rabo.
  • Sonsamona - não dic., forma aumentativa de sonsa.
  • Ter pôrras - exp., ter problemas.
  • Toca-lhe! Cai-te um braço e outro avareia-te! - exp., aviso ou ameaça.
  • Traçadinho - não dic., copo de vinho com mistura de gasosa.
  • Treque-lareque - não dic., falatório.
  • Vá a ver! - exp., apressa-te.
  • Vai-te e não me consumas - exp., diz-se a quem nos está a aborrecer e não queremos por perto.
  • Velha gaiteira - exp, diz-se de uma mulher idosa a quem se critica o gosto exagerado por festas.
  • Vou ali já venho - exp., comentário sobre uma situação com quem não se concorda, nomeadamente sobre uma avaliação.

Gostava que o autor do livro soube-se uma expressao muito usada em Tolosa, "boa noite", dava outro nivel xp

3 comentários:

Dulce disse...

ja me parti com isto ..ahahah :D ta brutal :D

Jorge disse...

Faltou o andar com o cu as bufas pa...realmente isto é cultura deviam proceder ao ensino disto nas escolas para que os meninos saibam que Portalegre, com as suas expressões, é a cidade mais evoluída do país...ou nao. Resta-nos a essência da bacoquice dessas expressões bom post Joana ;)

Raquel disse...

Juju, está do melhor! (: